Série: O Vale das Ausências

O Vale das Ausências
 

A ausência da “Lgbtq-afetividade” nas representações históricas invisibiliza a comunidade LGBTQI+ há séculos , criando nos indivíduos a sensação de não pertencimento e desumanização. Inúmeros personagens da história permanecem com suas identidades em um vale obscuro, parte de suas histórias não são reveladas e toda afetividade que foge do padrão heteronormativo ainda é tratada com estranheza. Nos livros de história, na literatura, nas artes a ausência da diversidade sexual evidencia que esse ainda é tema ofuscado pelo preconceito e a moral social distorcida. Na série “O vale das ausências”  o artista expõe em cabides “tirados do armário” fotografias queimadas, sobrepostas, formando uma imagem distorcida em camadas. As fotos são apropriações de retratos de desconhecidos, imagens que vieram à tona com o advento das tecnologias digitais e que podem ser acessadas por milhões de pessoas. A falta de referência da representações de diversidade sexual e afetiva deixa estigmas sociais a essa comunidade que viveu tanto tempo nas sombras e que agora se revelam pro mundo com maior força. As fotos são impressas e queimadas com vela, as velas deixam vestígios de parafina sobre as fotos, o resultado final são as camadas de fotografias queimadas e sobrepostas , sozinhas elas perdem parte de sua representação, sobrepostas elas se revelam, ainda que marcadas pela violência do esquecimento.