Documentos, ficções e Realidade

Documentos e Ficções 
 

As obras “Falsa Dicotomia’’ e    obra “Documentos e Ficções de Origem : Quantos Brasis formam o Brasil?  Fazem parte de um pilar importante na pesquisa:  A documentação oficial como formas de apagamentos sociais e a criação de narrativas de esquecimento  e identidade. Nesta pesquisa o artista investiga documentos pessoais e documentos oficiais como ferramentas de criação e manipulação de memórias. Essas memórias muitas vezes dilatam o tempo da história oficial de uma nação  e criam narrativas que perpassam gerações, criando uma identidade moldada por projetos de poder e pautada pela demanda da elite. Questionando essas estruturas documentais, o artista se utiliza desses símbolos e objetos para provocar reflexões sobre como esses documentos moldam a nossa forma de existir e se identificar. Se toda memória carrega consigo o peso do esquecimento, toda documentação (ou a  sua ausência) compartilha do mesmo mal.

Documentos e Ficções 
 

As obras “Falsa Dicotomia’’ e    obra “Documentos e Ficções de Origem : Quantos Brasis formam o Brasil?  Fazem parte de um pilar importante na pesquisa:  A documentação oficial como formas de apagamentos sociais e a criação de narrativas de esquecimento  e identidade. Nesta pesquisa o artista investiga documentos pessoais e documentos oficiais como ferramentas de criação e manipulação de memórias. Essas memórias muitas vezes dilatam o tempo da história oficial de uma nação  e criam narrativas que perpassam gerações, criando uma identidade moldada por projetos de poder e pautada pela demanda da elite. Questionando essas estruturas documentais, o artista se utiliza desses símbolos e objetos para provocar reflexões sobre como esses documentos moldam a nossa forma de existir e se identificar. Se toda memória carrega consigo o peso do esquecimento, toda documentação (ou a  sua ausência) compartilha do mesmo mal.